5 sensos: o metódo japonês de organização




O método 5S é uma filosofia de administração e organização de origem japonesa que reúne cinco elementos / sentidos importantes: Seiri (senso de utilização), Seiton (senso de organização), Seiso (senso de limpeza), Seiketsu (senso de normalização) e Shitsuke (senso de disciplina). A origem da técnica está no século XX, logo após a Segunda Guerra Mundial, em um momento no Japão vive dias de crise econômica. Alguns especialistas econômicos e da área industrial chegam a mencionar que esse método foi responsável por colocar na China nenhum panorama de líderes mundiais em termos de economia. Antes de começar a explicar sobre o 5S, faça uma análise sobre a consciência, que é preciso antes de adotar um método para sua organização pessoal. Ao concordar em praticar uma “fórmula” já definida em um contexto que não seja o seu, você aceita percorrer os caminhos que alguém já trilhou para alcançar algo, você “encurta” o caminho, o que você pode oferecer, mas pode usar ter como consequências, malefícios também. A Lari Rodrigues, do Hábitos que Mudam no Instagram, fala sobre “ valores inegociáveis ”, como instrumentos impulsionadores de nossos objetivos, e é nesse sentido também sobre a aplicação de métodos nas nossas vidas aqui. Amplamente reconhecido como um plano estratégico, o 5S é geralmente implementado em empresas com o fim de adquirir melhorias de qualidade total das organizações. De acordo com o site “ Certificação ISO”, os 5 sensores podem ser inseridos em qualquer tipo de empresa. Em órgãos públicos, escolas, associações e até a mesma vida pessoal. “Sua implementação leva a um aumento na eficiência, eficiência e segurança, além do aliado dos requisitos para uma certificação ISO”, não à toa, formados em cursos técnicos industriais com conhecimento sobre os 5 sensos. Uma das formas que particularmente encontrei de inseri o método no meu dia foi focando no senso de utilização, o Seiri, conseguindo nos tempos mais atuais de minha vida, evitar acumulação. Antes, levava uma vida de muita desordem em meu quarto e consequentemente, isso me levava a ter problemas de raciocínio no trabalho home-office. Até que um belíssimo dia, descobri o 5S por meio do Arata Academy, um plataforma de organização e produtividade que conheci em 2015 e mudou a minha vida em termos de produtividade. Que japoneses são extremamente ligados a questões de criação e organização de todo o mundo já sabe, ou que pessoas não costumam se atentar, como é possível adotar os métodos praticados por eles em nossas vidas. Dessa forma, através desse texto, você pode conhecer o ponto ou o sentido desejado, para que, assim, você possa destinar um ou todos no seu dia a dia.



SEIRI: senso de utilização O senso de utilização permite pensar sobre a vida útil de um material determinado para determinada tarefa. Não pergunte o que devamos “jogar para” tudo o que não possui utilidade, mas sim, destino para uma utilidade, e caso não tenha, fato, desfazer-se desse instrumento. Ou você deve identificar e remover objetos desnecessários do ambiente de casa, do trabalho entre outros. SEITON: senso de organização Separados os materiais úteis, aqueles que não são úteis, devem organizar-los. É um senso quase de ergonomia, uma vez que a lógica de desenvolvimento deve ser de que materiais de trabalho devem estar posicionados de acordo com sua utilidade. Por exemplo, canetas em uma mesa de trabalho, devem estar ou mais próximas das mãos possíveis. SEISO: senso de limpeza Estamos vivendo um momento de obrigatoriedade do processo de higiene das mãos e dos objetos potencialmente contaminantes, como forma de prevenção e combate ao novo coronavírus, sem senso de limpeza, além de executar a alteração de sujeiras e de uso de faxes periódicas, falamos aqui de evitar que estes se acumulam também. Em algumas pesquisas é possível notar que o Também se refere à aparência física do colaborador (um critério de universalização dos colaboradores da empresa) ps: ninguem merece né?! SEIKETSU: senso de padronização Estabelecimento de “regras, padrões e padrões” no ambiente organizacional. É um senso muito ligado à saúde do colaborador, uma vez que compreende a preservação da saúde física e mental dos colaboradores, um propósito, numa empresa, com colaboradores com baixas condições de saúde e não há rendimento. Quer uma pessoa quer, não quer, na vida pessoal, também é assim. Em organizações, a padronização costuma ser aplicada depois dos 3S essenciais: utilização, organização e limpeza. SHITSUKE: senso de autodisciplina Este último senso corresponde à necessidade de comprometimento dos colaboradores com seus valores no fim de cumprir todos os 4 sentidos anteriores. De acordo com o site Prisma Engenharia , “quando uma execução dos sentidos anteriores deixa uma obrigação e se torna algo natural e orgânico na cultura organizacional, com cada colaborador contribuindo para o espaço de trabalho seja o mais produtivo possível”. Bem, é um fato um método, que requer etapas e tarefas difíceis de serem aplicadas a um número mínimo de pessoas em uma organização. Isso não impede a consciência sobre o seu histórico, aprenda um pouco e aplique algumas técnicas na nossa vida. No último episódio do podcast, falamos sobre pontos que consideramos necessários para ter nitidez na mente para seguir nossa organização pessoal conhecendo métodos, porém, respeitando nosso processo e jornada. Ouça meu podcast aqui

10 visualizações0 comentário