A nóia sobre as ferramentas necessárias para ser uma pessoa organizada

Atualizado: 18 de abr.



A organização pessoal não se limita a ferramentas. Agendas, planners, bullet, todas essas coisas manuais, assim como sites e aplicativos de organização são apenas estradas palpáveis que fazem parte da etapa de planejamento.


Para destravar o medo de sair do âmbito do plano e partir para a etapa da ação, ou até mesmo começar a se planejar através das ferramentas citadas, pense em todas elas como se fossem equipamentos de proteção individual, os famosos EPI’s. EPI’s são objetos que só funcionam na relação entre dois ou mais envolvidos:


1. uma pessoa;

2. uma contexto.


Se não há risco, ou seja, se você não desenvolve um trabalho que envolva riscos a sua integridade, você não EPI. Um Equipamento de Proteção Individual só é realmente necessário quando alguém, um profissional de alguma área específica, está exposto a algum risco e dentro de um determinado contexto. Tomemos um exemplo: uma máscara de oxigênio serve perfeitamente para fuzileiros navais em missão marítima mas não é necessário para um “praça” (um policial a serviço escoltando uma rua ou esquina). Assim funcionam, na minha opinião, o que chamo de “ferramentas de organização pessoal”.


As ferramentas de organização pessoal e planejamento são objetos que viabilizam a prática da organização pessoal e até mesmo profissional de algum modo. Podem ser simples como as agendas ou mais complicadas como softwares criados por programadores. Ultimamente, algumas em específico, tem caído no gosto popular, já que permitem a centralização de diversas frentes da organização pessoal num só lugar.


Na analogia que quero fazer, a pessoa que substitui o profissional em uma função específica é você, e o contexto, neste caso, é a sua vida. Não estou dizendo que o seu modus de ser e estar no mundo é um risco (risos), embora seja possível citar que ser homem negro ou pessoa negra neste país é estar diariamente na zona de risco, mas isso é papo para outra hora. O que quero dizer basicamente é que é você quem determina quando e como deve utilizar as ferramentas de organização pessoal. E se organizar é basicamente como aprender andar de bicicleta: depende de prática. Sendo mais literal ainda: só se aprende praticando.


Portanto, como posso responder a você qual a melhor ferramenta de organização pessoal se eu, nos limites de “minha bolha”, só conheço aquilo que é acessível para mim?


Criei o Se Organiza, Bonita! pois considero que a organização pessoal não se restringe a ferramentas que uma pessoa usa, nem mesmo os métodos pelas quais ela optou utilizar para seguir sua jornada. É preciso entender que se uma pessoa obteve sucesso em sua organização pessoal, e assim é vista pelas pessoas a sua volta (como alguém bem sucedida em termos de organização), é porque ela usou as ferramentas disponíveis dentro do seu contexto social para adequar suas metas de vida à realidade e acima de tudo, manteve a constância. Ela pode não ter evoluído aos seus olhos, mas no mínimo, você sentirá que ela jamais regrediu.


Não adianta no início do ano fazer uma lista de desejos com dez coisas que você deseja alcançar, se você não incluir nessa lista, os caminhos que terá que percorrer para alcançar essas coisas. Ou se por exemplo, você não consegue definir o que é urgente, importante e prioridade. Sim, a organização pessoal é meio que sobre futorologia, mas para se tornar especialista na arte da antecipação, é preciso praticar bastante o presente e criar expectativas reais que não venham a te frustrar a curto, longo ou médio prazo. Afinal, não temos controle daquilo que virá, muito menos podemos consertar aquilo que já passou. A única coisa que temos controle é o presente, o aqui e o agora.


Controlar o presente tem muito haver com exercer a examinação de si e trabalhar para não surtar, ainda que o surto, seja muitas vezes, fonte de criatividade. Se organizar e ser uma pessoa organizada É sobre ter uma vida que dê espaço para os imprevistos e aprender com eles.


Há uma enorme disputa discursiva na Internet, especialmente entre produtoras de conteúdo sobre organização pessoal e planejamento, sobre qual ferramenta é melhor, e o que considero ainda pior, uma crítica ao fato de algumas ferramentas serem "metodologias engessadas". Acontece que dentro de determinados contextos, uma ferramenta se adequará melhor a determinada situação que outras.


Organização pessoal não é sobre o que você tem em mãos, mas como você utiliza as ferramentas que possui para observar seus padrões e adequar suas expectativas à sua realidade.


Deixa de nóia que precisa de tudo que vê por aí num Instagram ou outro, ok?! Apenas comece, comece e depois invista em você e na sua organização.



8 visualizações0 comentário